quinta-feira, 15 de outubro de 2009

Filme: Contos proibidos do Marquês de Sade



Esse feriado foi bem legal, e como tinha dito no post anterior, peguei alguns filmes para assistir. Por fim, a noite fiquei acompanhado pelo filme Quills (Contos proibidos do Marquês de Sade). Uma história provocante para uma época e sociedade moralista. A irreverência dos contos do Marquês de Sade, que expremiam seus desejos sádicos sexuais, libertavam os seus leitores do mundo reprimido que viviam em plena Revolução Francesa. Os contos faziam sucesso, e não era ao acaso, mas sim pela sua linearidade e pela desejo que aquilo transmitia, tornando as palavras palpáveis em reflexo da imaginação dos leitores.

Apesar das suas contradições psicológicas, posso eu a partir da minha percepção do filme, designar o Marquês de Sade como um apaixonado pelo desejo: desejo se libertar das palavras, de chocar a burguesia com a arte que ardia dentro de si e de mostrar para a sociedade a liberdade de poder saciar os seus desejos, e torná-los loucos dentro de si, como forma de eterniza-los.

O personagem Abbe Coulmier (Joaquin Phoenix) me deixou indignado durante todo filme. Ao tempo que ele era uma pessoa extremamente culta, um seguidor de Deus, e transparecia dentro do manicômio ser a pessoa mais sã, na verdade era uma pessoa problematica. Ele escondia por detrais da bata todos os seus loucos desejos, tornando-os insassiaveis e guardando-os para si, e isso proporciona que em um determinado momento ele entre em choque com tudo que vive, entrando em "erupção"(prefiro me deter por aqui para não contar mais detalhes do filme antes que vocês assistam).

E mais uma vez podemos visualizar a história da comunicação, quando o novo dono do manicômio faz com que todos os loucos trabalhem reproduzindo os livros do Marquês de Sade. A partir de então você analisa as várias etapas pelo qual ,para produzir um livro, ele passa. São umas 10 máquinas que aparecem no filme para a produção do livro, e hoje se passarmos 1h para imprimir e encadernar um livro é exagero ou é pelo fato da máquina estar quebrada.

Coloquei aqui também o trailler do filme, não consegui acha-lo legendado, mas vale a pena conferir as cenas e a grande produção desse filme, abraços.

video

Nenhum comentário:

Postar um comentário