quinta-feira, 29 de setembro de 2011

Ame à mim



Vocês estão dando tiro no lugar errado. Estão perdendo o foco e me afastando de vocês. O que era amor muitas vezes vem se transformando em rancor. E talvez, quando vocês perceberem que amar demais foi um erro, eu já terei partido à procura de alguém que me ame do jeito que eu sou.

Metaformose



Quando você perceber que mudou, esqueça, você não mudou. Apesar da mudança ser voluntária ela não transforma você, ela te transforma em você.

sábado, 24 de setembro de 2011

Meu mal, meu bem !



Sinceramente: eu sempre juntos minhas forças e peço à mim mesmo para que o tempo se encarregue das coisas mais lindas da minha vida. Mas não adianta, quando elas chegam fico frenético, sinto o cheio da adrenalina no ar e todas as minhas energias se revitalizam dentro de mim.
O meu mal, por muitas vezes, foi mostrar demais o meu querer bem e não saber guardar o quanto maior eu posso ser. Mas não se engane, meu bem, pois dentro de mim existem várias surpresas que nem o tempo terá hora para mostrar, nem a terra terá lugar para te apresentar, mas me acompanhe se você quiser mer ter.

domingo, 18 de setembro de 2011

sábado, 10 de setembro de 2011

O ato: abraçar


Te abraço, porque não quero fazer disso só um faz de conta, será o abraço mais sincero e mais puro que você poderá sentir de mim. Te abraçarei bem forte, porque mesmo com as asas quebradas, irei te proteger de todo mal que te cerca e alçarei vôo te levando para bem longe de todo sentimento ruim. Te guardarei dentro do meu coração, para sentir de perto tudo que tenho de mais lindo para te oferecer e te fazer feliz. Te abraçarei, e o mundo não vai parar, porque irei segurar suas mãos e deixaremos JUNTOS o tempo levar seu passado, suas mágoas e construiremos JUNTOS um novo tempo, TODO NOSSO. Te abraçarei, e você verá que nunca mais precisará se proteger de você mesmo, pois perceberá que você se curou e se permitiu deixar fluir todo o amor que há dentro de si. Te abraçarei, e te protegerei da tempestade até a chegada do verão, quando o sol raiar, e nós estaremos JUNTOS sorrindo, vendo que tudo passou e NÓS estavamos ali JUNTOS enfrentando o medo da tempestade. O mais importante, nós enfrentamos JUNTOS. Te abraçarei, e não só liberarei a minha felicidade, como irei deixar transbordar a minha paixão que está aqui dentro direto para você, como uma conexão nossa. Jogue o relógio para o alto, venha e me dê a mão, pois o tempo não parou e não vai parar nunca, e enquanto ele faz tic tac nós vamos construir a nossa felicidade daqui para frente JUNTOS, sorrindo, chorando, conversando e, olhando para trás, veremos como crescemos JUNTOS, como nos tornamos UM em DOIS corpos apaixonados. Te abraço.

quinta-feira, 8 de setembro de 2011

Herança fotográfica


Eu me recordo perfeitamente do momento que peguei a máquina fotográfica e mirei aquele rostinho miúdo. De longe a avistava deitada, com sua roupinha cheia de mimos e as bochechas rosadas. Ela parecia estar confortável naquela posição e, enquanto todos almoçavam, eu fiquei a admirar aquele ser que hoje é um capítulo da minha vida.

Já se passaram três meses que a vi pela última vez e, por causa da distância, minha pequena fica guardada nas lembranças de uma fotografia. Às vezes me pego distraído, admirando-a pela imagem guardada no meu celular e sorrio. Tento desvendar o mistério de como um ser tão pequeno conseguiu se tornar um dos meus maiores motivos de felicidade.

Sem tirar nem pôr analiso cada detalhe do pequeno ser, e percebo os traços que a tal carrega como herança de sua família. Talvez eu quisesse ter vivido mais aquele momento em que parei para encontrar o melhor ângulo e tentaria percebê-la mais ainda. Poderiam ter acontecido diversas possibilidades para que eu pudesse vivenciá-la, mas decidi registrar aquele instante.

‘’O que será que ficou na fotografia? ’’Essa é uma pergunta que eu me faço nesse momento, quando penso o que já se passou e percebo que só me restaram os sentimentos. Lembrar de minha sobrinha e relatar a saudade é uma dor que vai me acompanhar ao longo de minha vida. Não é possessividade, mas sim querer estar lado a lado e vivenciar os primeiros passos.

Lembro-me que logo após apertar o clique da maquina fotográfica ela despertou do seu longo sono matutino, abriu os olhos vagarosamente em minha direção e me encarou. Fixo meus olhos nos dela e ambos abrimos um sorrisão. Talvez esse tivesse sido o momento ideal para tê-la fotografado, mas não, eu preferi aproveitar aquele momento.

Olhando a fotografia analiso quando os seus olhinhos ainda estavam fechados, deitada confortavelmente, transmitindo uma paz inigualável. Aquele momento coadunava uma mensagem que não precisou de palavras para mim, pois me permiti somente sentir.

Momento

Por que fotografá-la dormindo? Talvez devesse realmente ter tirado uma foto dela balançando os braços, sorrindo ou até mesmo chorando, pelo menos estaria exprimindo necessariamente algum sentimento. Agora não tem mais jeito, aquele momento em que capturei minha pequena sobrinha no seu momento de relaxamento está materializado em um pedaço de papel, como um modelo de benevolência.

Neste exato momento em que escrevo recordo da minha pequena sobrinha com reminiscência, mas isso não significa que a esqueci. Seus movimentos e barulhinhos como se quisessem dizer algo remetem à minha imaginação como uma miragem. Mas quando olho a fotografia sinto o conforto de tê-la guardado naquela imagem, como um momento de catarse.

Guardo na foto não somente uma herança, mas também detalhes de sentimentos transportados a partir do meu olhar. Registrei naquela fotografia um momento que não poderei trazer de volta, mas vivi naquele instante. Conservo naquela imagem o amor por Emanuela. Que o tempo não poderá apagar, máquina alguma conseguirá arquivar e que o retrato poderá eternizar dentro do meu álbum de fotos.

quarta-feira, 7 de setembro de 2011

Anjo


Voa, meu anjo. Voa enquanto o tempo não coloca os teus pés no chão. Sorria, minha pequena. Sorria antes que as malícias do mundo te mostre as lágrimas. Viva, minha princesa. Viva e aproveite a sua inocência enquanto ela permeia todo seu ser. Porque dos mais belos sentimentos que já senti, dos mais doces momentos que já vivi e das mais sensíveis sensações que já me rodearam, a infância é a nossa única pureza que existe em nossa vida.

Minha primeira página




Passaram-se 2 horas que estava deitado. Com as mãos enterradas na areia sentia a energia da natureza. Olhava para o céu e avistava levemente Deus movendo as nuvens. O sol brilhava cada vez mais intenso, como se estivesse sorrindo para mim. O barulho do mar soava em meus ouvidos como uma sinfonia guiada pelos seus movimentos. A cada minuto sentia o passado, os pecados e a vida passarem. Me permitir deixa-los ir, como muitas coisas que deixei para trás. Agora sinto-me renovado, pronto para viver tudo mais uma vez. Quero que minhas páginas em branco contem novas histórias, tragam mais sorrisos, lágrimas, amigos, amor e muita vida.