sábado, 3 de abril de 2010

Sem Limites? Então põe o cabresto



http://www.youtube.com/watch?v=0qsmDVmgfws

São 9:18 da manhã, estou em frente ao computador vendo as notícias e me deparo com tremenda frustração: um morador de rua, no RS, é atacado enquanto dormia. Nas imagens o homem humilhado ficou semelhante ao prateado do pânico, mas não quero acusar que tal fato foi de "influência indireta" do prateado. O que quero acusar são essas pessoas que a todo tempo exigem uma sociedade de cabeça mais "aberta", sem limites o/ uhull pra você. Mas sinceramente, se ainda existem pessoas que não se comportam como cidadãos, e precisam ser tratados como mulas, que seja posto o cabresto, pois tais precisam saber o seus limites e reconhecer as diferenças, e olhar para o próximo com um pouco de compaixão ou, se for para fazer besteira, que não olhe e passe direto.

Sinceramente nesses momentos a gente vê quem são os maiores vândalos sem razão de nossa sociedade, porque pelo que a entrevistada disse as pessoas que pintaram o morador de rua desceram de um carro, ou seja, esta longe de ser pobre. Não existe mais esse "papinho" que só é gente de classe média baixa ou classe baixa que faz coisa errada no nosso país, não é de hoje que vivemos esse tipo de corrupção, e quando falamos deste não precisa lembrar somente dos políticos brasileiros, lembre também daqueles que queimaram o índio pataxó em Brasília, daqueles que vendem seu voto por 10 reais ou então daqueles que ainda se impressionam com tamanho da roupa das universitárias e humilham. Corrupção não é só roubar, é corromper o que há de ético perante toda a sociedade, é pensar no que a seu favor e esquecer o que pode beneficiar todos os outros, é quebrar regras para se dar bem, é dar um "jeitinho" para sair em vantagem.

Então, que sejam esquecidas esses ideais de liberdade que as pessoas proclamam, para que? Se alguns mal se comportam como gente e ainda por cima, muitas vezes, são mais irracionais do que os próprios animais.
Não sabe onde é o seu lugar? Então põe o cabresto.

#desabafo

Um comentário: