quarta-feira, 27 de abril de 2011

Do verbo saudade

Menina, não olhe para mim com estes olhos miúdos e puxados pois, se for assim, eu não irei.
Garotinha, não sorria baixinho quando eu virar as costas pois, se for assim, eu não irei.
Pequena, não chore quando se sentir sozinha pois, se for assim, eu não irei.
Amorzinho, não me abrace forte sempre que eu tiver que parti a cada visita pois, se for assim , eu não irei.
Espero que entenda: eu irei, mas nunca te deixarei, pois meus dias mudaram desde que te vi. Quando acordo e me olho no espelho vejo os olhos que tão distantes estão de mim. Nos passos que dou pelas ruas escuto risadinhas atrás de mim de crianças que nunca vi. E quando o vento bate forte em mim sinto o abraço apertado pedindo para ficar.
Pena que eu irei, mas quando eu voltar esteja pronta para mim, pois eu sempre estarei pronto para te amar, minha pequena.

Nenhum comentário:

Postar um comentário